Search

5 conhecimentos que fazem parte da Educação Financeira nas escolas


Com o anúncio do Ministério da Educação de um novo projeto voltado à educação financeira de professores da rede pública, a discussão sobre o assunto voltou a ganhar atenção nas mídias. Mas a verdade é que desde 2020 este aprendizado é obrigatório nas escolas, segundo as novas diretrizes da BNCC.


O Ensino Fundamental deve oferecer conceitos básicos de economia e finanças como parte do conteúdo lecionado, inclusive taxas de juros, inflação, aplicações financeiras, rentabilidade, investimentos e impostos. Além disso, a Educação Financeira também pode reforçar conhecimentos de outras disciplinas, integrando-se à grade curricular como parte da interdisciplinaridade no ensino.


Confira alguns conhecimentos que podem ser desenvolvidos e praticados por meio da implementação da Educação Financeira nas escolas:


1. Matemática


Desde as quatro operações, até exercícios mais sofisticados, como o cálculo de porcentagens e juros, não há dúvidas de que o ensino da Matemática tem muito a se beneficiar com a Educação Financeira.


Escolas implementam até mesmo atividades lúdicas, que envolvem a compra e venda de produtos na brincadeira, e ajudam as crianças a compreenderem o valor do dinheiro. Um exemplo é dar às crianças papéis ou vales simbólicos e colocar algo que elas gostem à venda, como biscoitos ou sorvete, mas apenas como parte do “faz de conta”.


2. Português


Juros, poupança, moeda, centavos, desconto, prestação… É vasto o vocabulário financeiro. Por isso, nunca é cedo demais para apresentar às crianças alguns termos econômicos mais simples. Uma maneira é por meio de livros que abordam o tema. Também é possível criar jogos e atividades que permitam aos alunos utilizar esse vocabulário na prática.


3. Empreendedorismo

Em algumas escolas o empreendedorismo é uma disciplina à parte, em outras faz parte da matemática ou mesmo do português, mas independente de como é lecionado, o empreendedorismo é um conhecimento fundamental para as crianças e que envolve o aprendizado da Educação Financeira.


Algumas escolas permitem que os alunos façam projetos práticos, em que eles possam abrir pequenos negócios, como um bazar de brinquedos usados, ou a venda de quitutes e docinhos, seja num evento ou mesmo no intervalo. Essa brincadeira permite que as crianças aprendam a se organizar e trabalhar com metas e orçamentos.


Também é interessante premiar os estudantes ao final da atividade, deixando que escolham como vão usar o dinheiro. A recompensa pode ser simples, como a compra de comidinhas para uma festa de fim de ano na sala de aula, ou algo mais inusitado como a realização de um passeio divertido. Nada mais gostoso do que colher o fruto do seus esforços!


4. Inglês


Assim como para o português, o aprendizado do vocabulário econômico em inglês também é importante! Taxes, profit, credit card são apenas alguns exemplos de uma longa lista de palavras relacionadas ao tema. As possibilidades de colocar esse aprendizado em prática também são enormes! Assim como as atividades em português também podemos encontrar vídeos, livros e jogos que abordam o tema neste idioma!


5. Raciocínio lógico


Além do aprendizado da matemática, os alunos também exercitam sua autonomia e capacidade de escolha. A Educação Financeira envolve aprender o impacto de ações e prever suas consequências, e isso pode ser alcançado através de atividades simples, como a criação de um mini-mercado.


Ter esse discernimento é fundamental quando o assunto é dinheiro, por isso começar o aprendizado ainda na infância, com a ajuda de professores, é um diferencial e tanto para a educação das crianças!



Educação Financeira na Prática


Aqui na Maple Bear Campo Belo - Vila Mascote, nossos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental já começaram a aprender a gerenciar o dinheiro na prática! Na unidade “Educação Financeira e Poupar” os alunos aprenderam conceitos básicos para a realização de um bazar na nossa Feira de Ciências (Science Fair), aplicando técnicas básicas de empreendedorismo, negociação e finanças.


Além do bazar também foi realizada a venda de doces e quitutes no intervalo, como brigadeiro, pipoca e outras delícias. Com o dinheiro arrecadado das duas ações, a turma pode realizar uma doação para uma Instituição que eles mesmo escolheram, além de patrocinar um passeio a um Escape Room para toda a turma, também escolhido pelos alunos. São iniciativas como essa que estimulam o aprendizado na prática, em situações com aplicabilidade real.


Considerando a importância da educação financeira, especialmente em tempos de crise, nunca foi tão necessário educar as crianças para que tenham uma relação com o dinheiro mais responsável. Ensinar os pequenos a poupar, administrar gastos e até mesmo investir é uma maneira de formar adultos mais conscientes, e nesse processo o papel das escolas é fundamental.


18 views0 comments